Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Setembro 17, 2021
- Publicidade -

Nome do autor

Delmar Gonçalves, de Moçambique

De Quelimane, República de Moçambique. Presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD) e Coordenador Literário da Editorial Minerva. Venceu o Prémio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro em 1987; o Galardão África Today em 2006; e o Prémio Lusofonia 2017.
132 Artigos
0 COMENTÁRIOS

Grito do silêncio

Poemas de Delmar Maia Gonçalves I "Perfume afrodisíaco do poder" Onde está nosso irmão que pregou a liberdade e se esqueceu? Onde está nosso irmão que prometeu futuro melhor que não existe? Onde...

Vida

Poemas de Delmar Maia Gonçalves I "Vida" (a propósito de um futuro que ainda não chegou) Ao meu país as aves regressaram e com elas a alegria, a paz, a vida e...

Incógnito

Poemas de Delmar Maia Gonçalves I "Entre o sonho e a realidade" Sonho sonho permanentemente utopicamente desesperadamente mas vivo a realidade Talvez se tivesse nascido noutras épocas ou noutros espaços tivesse conhecido Gandhi e...

A propósito do luxo e outras banalidades

Começo a ficar preocupado, confesso. O que se passa afinal, que de repente algumas figuras consideradas importantes desta  praça finalmente descobriram que o luxo é...

Pedido sagrado

Poemas de Delmar Maia Gonçalves II Gosto muito quando a ausência da evidência me oferece o novel, o secreto,o desconhecido,o eterno,o belo num instante Gosto de experimentar o prazer do inesperado que é...

Quelimane – Uma cidade capital órfã de cinemas

Pode-se imaginar a alegria e o entusiasmo das pessoas que se aglomeraram na inauguração do Cine-Teatro Águia em Quelimane nos anos 50. Uma sala...

Ser humano completo

Poemas de Delmar Maia Gonçalves XXX As sandálias que hoje uso não me pertencem sou um viajante do mundo. "Ser humano completo" Sou completo sou humano e resulto do negro e do...

Recado aos senhores “civilizados”

"Se queres ser universal, começa por pintar a tua aldeia." Leon Tolstói Por vezes «a montanha acaba por parir um rato», já diziam as Fábulas de...

Lembrar Timor

Poemas de Delmar Maia Gonçalves "Tragédias" (para relembrar Timor, não vamos esquecer!)   Baucau, Díli, Liquiçá, Laleia, Manatuto tornaram-se nomes familiares o cortejo de crimes foi desfilando e passou a fazer...

Massacre em Díli

Poemas de Delmar Maia Gonçalves "Tenho medo..." Tenho medo do silêncio profundo da noite tenho medo de escutar alguém em voz alta tenho medo de um fantasma que penetra na noite tenho...

Vozes anoitecidas pelo silêncio

Poemas de Delmar Maia Gonçalves "Mussa Bin Bique" Entre o orvalho paradisíaco lúcido e transparente da ilha mora um xirico. No canto melodioso do pássaro dorme o paraíso. II Eu nunca fui soldado nunca usei farda Mas...

A Solidão

Um famoso cantor francês afirmou numa das suas canções : « A solidão não existe.» No entanto, esta intrigante mensagem de esperança não convence os...

Ambição Menor

Poemas de Delmar Maia Gonçalves XVI As sinuosidades da estrada não silenciam o invisível herói que mora em mim pois abjuro a raposa feita homem e recuso a rendição. XVII Na poeira da vida as marcas de água não...

Lua

Poemas de Delmar Maia Gonçalves I Repousam em mim velhos Imbondeiros comigo sentado a beira de uma Oliveira. II Sou um Imbondeiro e a lua é minha irmã na selva do mundo. III "Missão" Quero reunir a...

O fragmento (Eu)

Poemas de Delmar Maia Gonçalves "O fragmento (Eu)" Sou fogo e lava Os fragmentos de que sou composto reclamam um pedaço da esfera do nosso caos. "Vida renasceu em Nicoadala" Os pássaros acordaram esperanças a...

Últimas notícias

- Publicidade -