Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Setembro 29, 2021

Toda a mulher livre é a fronteira de um novo país

Paulo Vieira de Castrohttp://www.paulovieiradecastro.pt
Autor na área do bem-estar nos negócios, práticas educativas e terapêuticas. Diretor do departamento de bem-estar nas organizações do I-ACT - Institute of Applied Consciousness Technologies (USA).

Usando uma falsa identidade, pretendendo conhecer melhor a consciência humana, por vezes, coloco frases nas redes sociais. Aqui fica o testemunho de um desses momentos em que escrevi no Facebook “estou a pensar no que tu estarás a pensar”.

Logo me respondeu Evelyne.

– Estou a pensar no quem eu sou…

– Errado! Mas, poderá a mulher que confessa o seu erro ser a mesma que o cometeu? Tu não podes conhecer-te sem teres nem ideia de quem és…

– Estou a tentar perceber o que está abaixo do visível! Para uns pode ser um erro, para outros uma questão essencial.

– Pressuposto para saberes mais sobre ti, ou sobre algo: se tu compreendes as coisas são exactamente o que são, se tu não compreendes as coisas são exactamente o que são. És tu que impregnas o (teu) mundo de sentido, logo não o poderás conhecer. Apenas criarás esse mundo.

– Ok, não tento compreender nada. Somente sinto e observo sem julgar ou justificar.

– “JUST BE…” ou “JUST BEE” ? Como resolverias tamanho mistério (a vida) optando por mudar apenas o resultado? Tu tens uma alquimia de origem. A essência não repousa na forma como (simplesmente) estás no mundo, sem julgar, sem desejar. Estar no mundo não é o mesmo que ser do mundo, pertencer ao mundo.

– Estou a ficar curiosa. Preciso algo mais para reflectir. Quem é a pessoa que disse? Onde está a pessoa que disse? Gostava de ter uma conversa frente a frente com ela.

– Ambos sabemos que não estamos nesta conversa para reflectir. Temos bem mais em que pensar, aquém e além deste instante.
O que resta de tudo o que nos interessa, é o instante, o “ Just Be”, o resto é “ Just Bee” (andar de flor em flor como as abelhas…). “Be” é o ser (simplesmente) daqui. Porquê? Porque é verdade. E, não será suficiente?!?

Tudo o resto é estar “ali” e “aqui”, daí o “Just Bee”.

Há quanto tempo as coisas não são (simplesmente) verdade? Ainda que por um instante,  Just Be! A liberdade é esse momento, não outro.
Toda a mulher livre é a fronteira de um novo país, Evyline.

– Quem é a pessoa que disse?

– Se o Deus que há em mim repousa no Deus que há em ti, então eu sou o outro tu. Se sou chama ou simplesmente luz, pouco importará desde que seja verdade!

– Onde está a pessoa que disse?

– Aí! Como poderia estar aqui?

– Gostava de ter uma conversa frente a frente com a pessoa que disse.

– Não faz sentido. Tudo o que procuras está aí. Concluindo, essas não eram as perguntas que te fariam avançar, pelo contrário são as que te fazem ficar.

Tenta outra vez, Evyline.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -