Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 17, 2021

“Uma Réstia de Temor (variação sobre Édipo)”, de Sam Shepard

A última peça do dramaturgo Sam Shepard, “Uma Réstia de Temor (variação sobre Édipo)”, é  a nova produção d’A BARRACA, com encenação de Rita Lello estará em cena a partir de 14 de Novembro de 2019, no Teatro Cinearte.

A última peça de Sam Shepard é uma variação fragmentada do Mito de Édipo que oscila entre uma versão mais tradicional das personagens da notável tragédia de Sófocles e as suas simplistas correspondentes actuais servidas, num tom de Thriller Policial, por uma parelha de polícias enervadiços.

Faz sentido? Não. Mas os sonhos e a loucura raramente o fazem e a dimensão poética que Shepard confere à sua louca sobreposição da Realeza Tebana com personagens terra-a-terra envolvidas com extraterrestres, barões da droga e babysitters assassinadas, é alucinante.”

 

Sinopse de “Uma Réstia de Temor (variação sobre Édipo)”

Estreada mundialmente em 2014 e nunca montada em Portugal, A Particle of Dread (Oedipus Variations) revisita a grande tragédia de Sófocles: Rei Édipo.

Traduzida para português com o título Uma Réstia de Temor (variação sobre Édipo) é um thriller negro com laivos de Grand Guignol Gore e uma pitada de humor surrealista, um texto não linear que combina humor e poesia para nos recordar que vivemos entre a predestinação e o livre-arbítrio.

A Particle of Dread não era para ser a última peça de Sam Shepard, era para ser a primeira de uma série de reflexões sobre a cultura e a sociedade num estilo tardio, maduro e experimental.

Na sua maturidade artística, o já de si experimental Sam Shepard, radicaliza o discurso criando uma fractura que despe a arte da sua aparência artística. Ao dramaturgo que se dedicou a escalpelizar a doença das relações familiares na América profunda, já não interessava apenas expor as cicatrizes das relações humanas, mas tratar satiricamente as feridas profundas da sociedade ocidental.

A última peça de um grande autor é sempre um tesouro. Este tesouro é de Sam Shepard. Escrita há cinco anos, a peça traduz a reflexão última do dramaturgo sobre temas que sempre o apaixonaram, que nos acompanham a todos desde que nascemos e aos quais não podemos fugir: a família, a hereditariedade, o destino e o livre arbítrio.

Pala mão de Shepard, que se faz acompanhar de Sófocles nesta sua viagem, coloca-se a possibilidade de revisitar um dos mitos fundadores da nossa cultura e os problemas intemporais com que se depara o ser humano, numa leitura contemporânea entre o cómico e o trágico reflexo da eterna dicotomia da condição humana.

 

Informação adicional

  • Estreia a 14 de Novembro de 2019
  • De quarta a sábado às 21H30, domingo às 17H00
  • Reservas: [email protected] | 213965360
  • Morada: Teatro Cinearte
    Largo de Santos, 2 – 1200 – 808 Lisboa

 

Encenação e Espaço Cénico Rita Lello

Com Adérito Lopes | Cláudio Castro | Érica Galiza | João Duarte| Samuel Moura | Sérgio Moras Sónia Barradas | Rúben Garcia

Tradução Rita Vasconcelos Marques

Fotografia Ricardo Rodrigues

Design  Inês Costa

Produção e Relações Externas Catarina Aidos

Luz  Vasco Letria

Técnico Fernando Belo

 


Os assinantes solidários do Jornal TORNADO têm Desconto de 20%, em dois bilhetes para o espectáculo.


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -