Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Janeiro 30, 2023

BCE anunciou novo corte nas taxas de juro com o objectivo de reavivar a economia da zona euro

BCE

 

O Banco Central Europeu anunciou hoje, um corte na taxa de juro de 0,05% para 0% como parte de um conjunto de medidas, cujo objectivo é reavivar a economia da zona euro. A taxa de juro de depósitos bancários foi também alvo de uma baixa: de -0,3% para -0,4%, revela o site da BBC.

A instituição europeia decidiu ainda expandir o seu programa de compra de dívida, lançado há um ano, de 60 mil milhões de euros para 80 mil milhões de euros.

Ouvido pela BBC, John Hardy, responsável pela estratégia de câmbios no Saxo Bank, afirmou: “esta bazuca é muito maior do que o mercado estava à espera e mostra que o BCE quer ir mais além da curva de confiança depois de aprender a sua lição em Dezembro”.

Esta é uma alusão às medidas de estímulo para a economia, anunciadas por Mario Draghi, presidente da instituição, há três meses atrás, que não surtiram o efeito desejado. Numa conferência de imprensa, o responsável pelo BCE admitiu ter optado por estes valores para fazer face à recente queda no preço do petróleo e acredita que a inflação na zona euro seja de 0,1% este ano, muito mais baixa do que a estimativa inicial, que era de 1%. A taxa de inflação, acrescentou, deverá ser de 1,3% em 2017 e de 1,6% em 2018.

A estimativa de crescimento foi baixada para 1,4% este ano, ou seja, abaixo dos 1,7% inicialmente previstos. Em 2017, deverá ser de 1,7%, abaixo dos 1,9% que se estimaram ao princípio, e deverá ser de 1,8% em 2018.

Para Kamal Ahmed, editor de Economia da estação britânica, estas medidas demonstram a grande preocupação sobre o fraco crescimento económico e a deflacção na zona euro; o especialista fala numa “fuga para a frente” depois do falhanço das últimas medidas, destinada a mudar os comportamentos dos mercados e a estimular tanto os empréstimos bancários como os investimentos.

Caso estas novas medidas do Banco Central Europeu não tenham o efeito desejado, a instituição terá graves problemas, defendeu o editor de Economia.

Os efeitos deste anúncio do BCE já se fizeram sentir nos mercados: o euro, de início, caiu 1% face ao dólar norte-americano, mas recuperou depressa para valer mais 1,4% (1,11419 dólares). Um euro mais fraco faz com que as exportações europeias sejam mais baratas, pelo que os fabricantes não vão ver com bons olhos este aumento.

As bolsas de valores também registaram algum crescimento pouco depois deste anúncio, porém, esse movimento inverteu-se. A bolsa de Frankfurt fechou a perder 2,3%, a de Paris fechou com menos 1,7% e o índice FTSE 100 de Londres também perdeu 1,8%.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

1 COMENTÁRIO

Comentários estão fechados.

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -