Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Blues para Caetano

Beatriz Aquino
Formada em Publicidade e Propaganda. É escritora e atriz de teatro. Nascida no Brasil a viver em Portugal.

Poema inédito de Beatriz Aquino

Blues para Caetano

(Lamento à Terra Brasílis)

Olha, também eu vivi um amor assim delicado.
Fui marcada pelas garras de um tigre.
Sonhei afagar teus cabelos
e soprar no teu frio,
o calor de nossos trópicos.

Ainda muito pequena, aprendi a andar contra o vento.
E tua voz era o meu único norte.

Também fui presa e atônita.
Tosada em minhas convicções.
Também vi a Terra de longe e chorei por ela ser tão azul.
– e tão má –

Sei que estás cansado.
Deixa que eu cante agora.
Os momentos raros são joias.
Foi contigo que aprendi a poesia,
a resistência aos dias cínicos
e como sobreviver ao peso das severas botas do fascismo.

Por tua causa não morri de ópio
e nem de fome.
Por tua causa sei que apesar de tudo e acima de tudo,
existe beleza naquela ingênua vontade de ficar mais um instante…

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorDois cravos..
Próximo artigoSempre respondes
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -