Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 9, 2021

Como já disse o poeta

Beatriz Aquino
Formada em Publicidade e Propaganda. É escritora e atriz de teatro. Nascida no Brasil a viver em Portugal.

Poema inédito de Beatriz Aquino

Como já disse o poeta

Como já disse o poeta,
hoje a tristeza não foi passageira.
Saiba que os encantos também desbotam.
E nossos olhos deixam de refletir o que por dentro sonhamos.

Decerto que o vento não nos foi favorável. Nossas embarcações seguem perdidas. Sem farol e sem cais.
E descobrimos que entre o canto das baleias e o choro das gaivotas não há muita distinção.

Ontem vi um por do sol bem bonito.
E rezei para que pudesse traduzi-lo em palavras.
Mas elas, assim como a vida,
não existem para servir aos nossos desejos.

Coragem poeta.
Agasalha-te da febre.
Anjos tristes anunciam que nossa hora agora é outra.
Nossos minutos serão contados por páginas e lembranças.
E seguiremos levados pelas ondas para o nosso indiscutível crepúsculo.

É isso.
Não digo mais.
Faz tempo que não escrevo poesia.
E essa aqui me chega como um mormaço preconizado.

Queria ainda o ardor dos profetas,
a altivez dos imberbes de medo e conhecimento.
Mas o tempo nos faz ser mais agasalho que brisa.

Não faz mal.
Navegar, navega-se. Mesmo que a esmo.
Chegar, chega-se. Desde que exista a coragem para chamar um lugar de seu.
No mais é essa comichão de sempre no peito.
Um rouca saudade na garganta,
e a velha vontade de eternizar o entardecer.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorAo longe….
Próximo artigoDeméter, o pão da Terra
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -