Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 24, 2024

Eleições para a Presidência da República

João de Sousa
João de Sousa
Jornalista, Director do Jornal Tornado

Miguel Mattos ChavesCaros Amigos e caros Leitores,
Teve lugar mais um acto eleitoral para eleger o Presidente da República. A propósito, e dada a importância do acto, gostaria de tecer algumas considerações:

  1. Em 1º lugar, democráticamente dar os parabéns ao Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa pela sua vitória indiscutível.
    Cumpre-me também desejar que o seu mandato supere as minhas expectativas no que se refere à defesa de Portugal em todos os fóruns internacionais em que nos representar.
    Desejo igualmente que honre o seu discurso, sobretudo no que se refere à atenuação da crispação existente na sociedade portuguesa e que defenda, sem qualquer ambiguidade, o estipulado na Constituição Portuguesa, seja qual for o Governo que esteja em funções enquanto durar o seu mandato.
    E finalmente que possa contribuir para que, finalmente, Portugal possa vir a ter uma Estratégia Clara para o futuro, que defenda a Soberania da Nação Portuguesa no seio da Comunidade Internacional.
    De hoje em diante, e por 5 anos, será também o meu Presidente da República.
    Felicidades para o desempenho de tão Alto cargo.
  2. Como é sabido, e público, apoiei um outro candidato, o Sr. Henrique Neto que tinha (e tem) as condições de experiência, de saber-fazer, de firmeza e ideias claras para uma Estratégia Nacional, para atingir os objectivos que, agora, desejo que o Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa possa atingir.
    Não foi essa a vontade dos Eleitores, meus compatriotas, e resta-me, como sempre o fiz, respeitar a sua vontade inequívoca.
    Teve um discurso sério, digno, coerente, corajoso. Apontou caminhos para o futuro de Portugal e para o seu engrandecimento, tendo em conta os limites da função Presidencial.
    Parabéns, caro Sr. Henrique Neto, pela sua corajosa participação e pelas contribuições positivas que trouxe para o debate sério, por esse país fora.
    Espero que o novo Presidente tenha a humildade e a coragem de seguir alguns dos seus avisados conselhos.
  3. Ao contrário de muitos, penso ter sido muito positivo que várias outras pessoas tenham tido a Coragem de se candidatarem á Presidência.
    Estipula o nosso enquadramento constitucional que Todos os Cidadãos Portugueses com mais de 35 anos, que estejam na posse dos seus direitos civis, o possam fazer e, na minha opinião, é saudável que assim seja.
    Parabéns a todos pela vossa vontade, pela vossa coragem, pela vossa participação cívica.
  4. Verificaram-se distorções no Direito à informação dos Portugueses.
    Na verdade os órgãos de comunicação social escolheram uns em detrimento de outros.
    Legitimo o direito de o fazerem. Legal o direito de o fazerem.
    MAS … não podem daqui em diante dizer que são Independentes, não podem de aqui em diante dizer que são Isentos e que estão ao Serviço de todos os Portugueses.
    Invocando “critérios editoriais”, de que só eles sabem o conteúdo, pouco informaram sobre o que pretendiam todos os candidatos em presença, com a excepção dos dois ou três que escolheram.
  5. Por fim um aviso à navegação: verificou-se novamente uma Abstenção de mais de 50%. Isto é, mais de 50% dos portugueses decidiram livremente não participar neste acto cívico e político.
    Espero que os actores políticos comecem a reflectir sériamente sobre este desinteresse de parte muito significativa da população, pois um verdadeiro regime democrático tem a responsabilidade e o Dever de motivar os cidadãos a participar na vida pública.
    Pela minha parte continuarei a olhar atentamente sobre o que se passa na vida pública portuguesa e a exercer o meu Dever de participar e comentar, positiva ou negativamente o que vou observando e de propor medidas correctivas ou alternativas ao que vai acontecendo, como sempre o fiz, tendo como objectivo o bem de Portugal, o meu País.
    Portugal é um País dotado de pessoas muito capazes. Assim os seus dirigentes o sejam também, para juntos termos um futuro melhor.

Melhores cumprimentos
Miguel Mattos Chaves

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -