Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Setembro 23, 2021

Em meio à essa terra abrupta, testemunho verbos duros

Beatriz Aquino
Formada em Publicidade e Propaganda. É escritora e atriz de teatro. Nascida no Brasil a viver em Portugal.

Poema inédito de Beatriz Aquino

Em meio à essa terra abrupta, testemunho verbos duros

Em meio à essa terra abrupta, testemunho verbos duros,
conjugações que não reconheço.
Faz falta a melodia fácil da minha casa.
O sorriso franco dos meus.
Aquela sensibilidade fluída,
o farto verter do sentir.
A mansa vulgaridade dos simples.
Ah que saudade de ser o que sou!

Enquanto estrangeira, estou sempre em alerta.
Nunca sei quando haverão de empunhar sobre a minha cabeça pesadas bandeiras.

A luz dos brasões me fere os olhos.
São muitas e douradas as conquistas dessa terra.
As caravelas ainda ditam o compasso dos corações.
E eu só quero passar.

Mas o mar é tão vasto.
O lar é tão longe.
Ah, vento! Enxuga as planícies profundas de ignorância desse oceano e traz as ruas da minha infância até os meus pés errantes!
Pois estou cansada de escrever sobre guerras.

Não é fato que sejam irmãs essas pátrias.
Nossas línguas ainda se açoitam mesmo quando usamos o mesmo léxico.

Salva-me! Quem quer que possua o dom de desvendar o mistério!
A torre em que me puseram é demasiado alta.
O mar à minha frente possui muitas noites.
E eu não sei nadar com os bolsos pesados de incompreensão.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorAmbição Menor
Próximo artigoDesnudo(te)
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -