Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Gracelino Tavares Barbosa conquista bronze e notoriedade

Emocionado, Gracelino (centro) comemora a inédita medalha com o venezuelano Luis Paiva (esquerda) e o brasileiro Daniel Martins (Foto: Getty Images/Alexandre Loureiro)
Emocionado, Gracelino (centro) comemora a inédita medalha com o venezuelano Luis Paiva (esquerda) e o brasileiro Daniel Martins (Foto: Getty Images/Alexandre Loureiro)

Gracelino Tavares Barbosa, um dos dois atletas que representam o País nos jogos que decorrem no Rio de Janeiro, conquistou uma medalha de bronze no Estádio Olímpico, a primeira para Cabo Verde em Jogos Paralímpicos.

Gracelino é electricista de profissão, vive em Portugal, tem 31 anos e confessa-se fã de Usain Bolt.

Logo após a prova, recebeu uma chamada telefónica do presidente do seu país felicitando-o pelo feito histórico.

“Eu achei que era brincadeira, que estavam a pregar-me uma partida. É incrível saber que ganhámos a primeira medalha Paralímpica da história do nosso país. Todo o atleta sonha em competir com os melhores do mundo nos Jogos Paralímpicos, mas conquistar uma medalha é inacreditável. Não imaginei que fosse conseguir, a minha meta era chegar à final”.

Este resultado já transformou o atleta em referência desportiva em Cabo Verde. Apesar de viver e treinar em Portugal, o velocista garante que irá dedicar-se à dinamização da prática de desporto no seu país.

“Junto com a medalha vem uma responsabilidade enorme, porque preciso de mostrar a todos que trabalhando duro é possível ganhar medalhas. Vou continuar a treinar, mas quero aumentar a popularidade do paradesporto em Cabo Verde e na África”.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -