Diário
Director

Independente
João de Sousa

Segunda-feira, Setembro 27, 2021

Há milhares de pessoas na Síria que ainda precisam de si

Há mais de 9 anos que a Síria é palco de gravíssimas violações de direitos humanos e, se não fizermos nada, este conflito afectará ainda mais quem já depende de ajuda humanitária para sobreviver.

A resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas que autoriza a ajuda transfronteiriça no noroeste da Síria está prestes a expirar e, apesar de ter sido prorrogada repetidamente, a Amnistia Internacional teme agora que a Síria, a Rússia e outros aliados tentem terminar o acordo para defender os seus interesses na região.

O que lhe pedimos esta semana é que até ao dia 26 de Junho escreva um e-mail para o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia para que não vete esta resolução na próxima reunião do Conselho de Segurança. A ajuda humanitária que essa Resolução autoriza é fundamental para os milhares de sobreviventes de crimes de guerra e de crimes contra a humanidade que ainda se encontram no noroeste da Síria. Esta ajuda pode fazer toda a diferença entre a vida e a morte.

Participe nesta acção

Envie um apelo escrito nas suas próprias palavras ou use este modelo de carta, até 26 de Junho de 2020.

Assunto do e-mail: Russia must vote for the renewal of the UN cross-border aid to north-west Syria

 

Dear Minister of Foreign Affairs of the Russian Federation, Mr. Sergei Lavrov,

 

Hundreds of thousands of civilians in north-west Syria have been forced to flee towards areas close to the Turkish border as a result of attacks by government forces on civilians and civilian objects such as residential homes, medical facilities and schools. More than 80% of those displaced are women and children; many of the remaining men are older persons, persons with disabilities and members of other at-risk groups.

They currently live in dire conditions, suffering shortages of food, clean water and medical aid as well as limited access to adequate shelter and education.

On 10 July, UN Security Council Resolution 2504, which authorizes cross-border aid to people in north-west Syria, expires. The Security Council must renew cross-border aid to sustain the UN’s ability to continue delivering timely aid across the Turkish border to civilians in dire need. It is very difficult for the UN and its humanitarian partners to deliver timely and sustained aid to these civilians from Syrian government-controlled areas. The government of Syria has regularly sought to restrict aid operations through bureaucratic requirements. It has also “blacklisted” and persecuted aid workers working in opposition-held areas.

I therefore urge you to vote for the renewal of the resolution authorizing UN cross-border aid delivery to north-west Syria. It’s a matter of life or death for millions of civilians living there. The world is already witnessing an unprecedented level of uncertainty and hardship. We can’t afford to let the humanitarian catastrophe in north-west Syria fester and worsen any further.

Yours sincerely,

Agradecemos que coloque em cc, ou bcc, o e-mail [email protected]
Assim, poderemos melhor monitorizar o envolvimento e o impacto desta ação.
Servirá também como informação para o destinatário, caso coloque em cc.

 

Porque precisamos de si?

Hoje, milhares de pessoas no noroeste da Síria precisam de comida, medicamentos, água potável e abrigos adequados para poderem sobreviver. Cercadas em áreas cada vez mais reduzidas, estas pessoas vivem em condições intoleráveis e dependem de ajuda externa. Agora, precisam da sua acção para que a ajuda que recebem não seja interrompida.

Esta situação alarmante resulta dos ataques aéreos e terrestres  levados a cabo pelas forças governamentais sírias e/ou russas contra civis, áreas residenciais, instalações médicas e escolas no noroeste da Síria. Entre Dezembro de 2019 e Março de 2020, estes ataques mataram e feriram milhares de civis e cerca de um milhão foi obrigado a fugir das suas casas em Idlib, em direcção à fronteira com a Turquia. Estas e outras violações de direitos humanos estão documentadas no relatório “Nowhere is safe for us: Unlawful attacks and mass displacement in north-west Syria” da Amnistia Internacional.

Mas a ajuda que estas pessoas recebem pode ter os dias contados. No próximo dia 10 de Julho, a Resolução 2504 do Conselho de Segurança das Nações Unidas irá expirar. Esta resolução, criada em Julho de 2014, autoriza a ajuda transfronteiriça no noroeste da Síria e noutras partes do país controladas por grupos armados da oposição, e não exige o consentimento do governo sírio. Apesar da sua renovação ter sido constante, a sua continuidade tem enfrentado cada vez mais obstáculos devido às acções do governo sírio e dos seus aliados que têm tentado terminar o acordo. Um desses aliados é a Rússia, que por sua vez tem assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

Precisamos de si para garantir que a Rússia não veta a renovação desta resolução no Conselho de Segurança das Nações Unidas. O noroeste da Síria já foi descrito como uma “história de horror” humanitária e é fundamental que os sobreviventes deste conflito recebam a ajuda de que tanto precisam.

 

O que queremos?

Queremos que Rússia vote a favor da renovação da Resolução 2504 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para que a ajuda humanitária no noroeste da Síria não seja interrompida.

 

Qual é a sua missão?

Escreva um e-mail ao Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, apelando a que não ignore as necessidades básicas de milhares de vidas que estão em risco. Para elas, a continuidade desta linha de ajuda humanitária pode ser a diferença entre a vida e a morte.

 

Para saber mais

Relatório Nowhere is safe for us: Unlawful attacks and mass displacement in north-west Syria
Pode ainda consultar algumas das informações mais recentes sobre o trabalho da Amnistia Internacional e as violações de direitos humanos na Síria:


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -