Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Abril 18, 2024

Herbie Hancock | O sucesso de olhos postos no futuro

José Alberto Pereira
José Alberto Pereira
Professor Universitário, Formador Consultor e Mestre em Gestão

Em 2006 é lançado um álbum duplo retrospetivo, denominado “The Essential Herbie Hancock”.

Ainda nesse grava com Josh Groban e Lionel Loueke, participando nos discos destes músicos. No ano seguinte, Herbie presta homenagem à cantora e compositora Joni Mitchell, sua amiga, no álbum “River: The Joni Letters”, no qual participam Leonard Cohen, Tina Turner, Norah Jones e Corinne Bailey Rae. O álbum foi lançado em 25 de setembro de 2007 e ganhou dois Grammys em 2008: o de melhor álbum do ano e o de melhor álbum de jazz.

Herbie Hancock Montreux Jazz (© 2012 FFJM – Lionel Flusin)

Em 18 de janeiro de 2009, Hancock participou no concerto We Are One, que marcou o início das comemorações do presidente Barack Obama. Ainda nesse ano apresentou Rhapsody in Blue no Classical BRIT Awards, com o pianista clássico Lang Lang, e foi nomeado diretor criativo de jazz da Filarmónica de Los Angeles para o triénio 2010-12.

Em junho de 2010, Herbie lança “The Imagine Project”, um álbum gravado em diversos locais com a participação de artistas como The Chieftains, Wayne Shorter, Chaka Khan, Seal, Toumani Diabaté, Tinariwen, Los Lobos, Jeff Beck, Pink, John Legend, Dave Matthews, James Morrison e Anoushka Shankar, entre outros. Uma equipa de mais de 100 pessoas, entre músicos e técnicos, tornaram possível este grandioso projeto, que incluiu temas de John Lennon, Bob Dylan, Vinicius de Moraes, Peter Gabriel, Bob Marley e Sam Cooke, entre outros.

Este foi o último disco editado por Herbie Hancock até ao momento. Herbie tem desde 2018 um novo disco em preparação, que deverá contar com uma ampla variedade de artistas de jazz e hip-hop, incluindo Wayne Shorter, Kendrick Lamar, Kamasi Washington, Thundercat, Flying Lotus, Lionel Loueke, Zakir Hussein e Snoop Dogg.

Com 120 discos gravados em nome próprio, entre álbuns de estúdio e ao vivo, bandas sonoras e compilações, e com mais de 150 participações em discos de outros músicos, Herbie Hancock é um verdadeiro ícone da música moderna. Participa no elenco de 17 filmes (6 deles concertos ao vivo) e publicou com Lisa Dickey em 2014 o livro de memórias “Possibilities”. Possui mais de trinta prémios e reconhecimentos, incluindo um Óscar da Academia, 14 Grammy, o prémio da Academia Americana de Artes e Ciências e o grau de Oficial da Ordem de Artes e Letras francesa.

Chick Corea e Herbie Hancock (© 2015 FFJM – Lionel Flusin)

Budista desde 1972, Herbie vai já na sua quinta década como músico profissional e permanece onde sempre esteve: na vanguarda da música, da cultura, das artes e da tecnologia. Continua a trabalhar arduamente e, para o primeiro semestre de 2019, tem já oito concertos agendados (e esgotados) em diversas salas norte-americanas. Sendo o futuro sempre incerto, parece-nos seguro dizer que Herbie Hancock continuará a deixar a sua inimitável marca na música moderna ou, como ele próprio diz, “gosto de criar novas regras para as quebrar logo a seguir”.

Vídeos


Fotos: Lionel Flusin / Montreux Jazz – Herbie Hancock

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -