Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Dezembro 3, 2022

Maio, Sempre Maio

Carlos Luna, em Estremoz
Carlos Luna, em Estremoz
Professor de História, Investigador

Soneto de Carlos Eduardo da Cruz Luna

Maio, Sempre Maio

Lembremos sempre o Primeiro de Maio
e o sangue de quem por ele lutou,
hoj’ olhado por tantos de soslaio,
só porque a sua voz sempr’ incomodou!

Não passava eu dum simples catraio
quando Maio ao meu país arribou!
Tinha sid’ Abril, e foi com’ um raio
caído na terra, que nela ficou!

Maio, como te vivi ness’ altura!
Pensava contigo mudar o mundo,
e essa força em mim ‘inda perdura…

Da força de quem trabalh’ oriundo,
Maio, a tua mensagem tão pura
é um grito que nos sai cá do fundo!!

Receba regularmente a nossa newsletter

Contorne a censura subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anterior
Próximo artigo
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -