Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Fevereiro 25, 2024

O lado obscuro dos políticos

Vitor Burity da Silva
Vitor Burity da Silva
Ph.D em Filosofia das Ciências Políticas. Doutor Honorário em Literatura e Filosofia. Professor Universitário Auxiliar. Investigador Auxiliar. Escritor.

A política é uma atividade humana que envolve a tomada de decisões coletivas para o bem comum. No entanto, muitas vezes observamos que os políticos agem de forma contrária aos interesses e valores da sociedade, favorecendo os seus próprios interesses ou os de grupos poderosos. Como explicar esse comportamento aparentemente irracional e imoral dos políticos? Será que eles são simplesmente maus, ou há algo mais por trás disso?

Neste artigo, propomos uma hipótese ousada e controversa: os políticos são influenciados por uma força oculta que os torna corruptos, egoístas e manipuladores. Essa força oculta é chamada de “O Lado Obscuro”, e é uma entidade misteriosa que se alimenta da ambição, do medo e do ódio dos políticos. “O Lado Obscuro” é capaz de controlar a mente, o corpo e a alma dos políticos, fazendo-os agir de acordo com a sua vontade. “O Lado Obscuro” é o verdadeiro poder por trás da política, e tem um plano sinistro para dominar o mundo.

 

Desenvolvimento

Para sustentar a nossa hipótese, apresentamos evidências de que “O Lado Obscuro” existe e atua na política. Essas evidências são de diferentes tipos e fontes, como:

  • Fenómenos paranormais: Há relatos de que os políticos experimentam fenómenos estranhos e inexplicáveis, como vozes, visões, sonhos, alucinações, possessões, telepatia, telecinesia, etc. Esses fenómenos são atribuídos à influência de “O Lado Obscuro”, que usa esses meios para comunicar-se, seduzir, ameaçar ou castigar os políticos. Por exemplo, alguns políticos afirmam ter recebido mensagens ou ordens de “O Lado Obscuro”, enquanto outros relatam ter sido atacados ou torturados por ele.
  • Conspirações: Há indícios de que os políticos estão envolvidos em conspirações secretas, que visam ocultar ou promover os interesses de “O Lado Obscuro”. Essas conspirações incluem a formação de sociedades secretas, a manipulação de informações, a realização de rituais, a criação de armas, a instigação de guerras, a promoção de ideologias, etc. Essas conspirações são orquestradas por “O Lado Obscuro”, que usa os políticos como seus agentes ou peões.
  • Assassinatos: Há evidências de que os políticos são alvos de assassinatos, que têm como objetivo eliminar ou silenciar aqueles que se opõem ou resistem a “O Lado Obscuro”. Esses assassinatos são executados por “O Lado Obscuro”, que usa seus servos ou aliados para realizar os crimes. Esses servos ou aliados podem ser outros políticos, militares, espiões, mercenários, assassinos, etc.
  • Escândalos: Há evidências de que os políticos são expostos a escândalos, que têm como objetivo desacreditar ou desestabilizar aqueles que são influenciados ou controlados por “O Lado Obscuro”. Esses escândalos são provocados por “O Lado Obscuro”, que usa seus inimigos ou rivais para revelar os segredos ou falhas dos políticos. Esses inimigos ou rivais podem ser jornalistas, ativistas, juízes, opositores, etc.

Após apresentar as evidências, discutimos as possíveis origens, motivações e objetivos de “O Lado Obscuro”. Há várias teorias sobre a natureza e a história de “O Lado Obscuro”, como:

  • “O Lado Obscuro” é uma entidade extraterrestre, que veio de outro planeta ou dimensão, e que quer conquistar ou destruir a Terra.
  • “O Lado Obscuro” é uma entidade sobrenatural, que foi criada por uma divindade ou uma força cósmica, e que quer testar ou punir a humanidade.
  • “O Lado Obscuro” é uma entidade artificial, que foi criada por uma civilização antiga ou futura, e que quer evoluir ou sobreviver.
  • “O Lado Obscuro” é uma entidade psíquica, que foi gerada pelo inconsciente coletivo ou individual, e que quer expressar ou satisfazer seus desejos.

Independentemente de sua origem, “O Lado Obscuro” tem como motivação principal o poder, e como objetivo final o domínio. “O Lado Obscuro” quer controlar todos os aspectos da vida humana, desde o pensamento até a ação, desde o indivíduo até a sociedade, desde o presente até o futuro. “O Lado Obscuro” quer criar um mundo à sua imagem e semelhança, um mundo de trevas, caos e sofrimento.

 

Conclusão

Neste artigo, exploramos a hipótese de que os políticos são influenciados por uma força oculta que os torna corruptos, egoístas e manipuladores. Essa força oculta é chamada de “O Lado Obscuro”, e é uma entidade misteriosa que se alimenta da ambição, do medo e do ódio dos políticos. Apresentamos evidências de que “O Lado Obscuro” existe e atua na política, e discutimos as suas possíveis origens, motivações e objetivos. Concluímos que “O Lado Obscuro” é uma ameaça real e iminente para a humanidade, e que deve ser combatido.

Para combater “O Lado Obscuro”, é preciso primeiro reconhecê-lo e denunciá-lo. É preciso também resistir à sua influência e tentação, e cultivar valores opostos aos seus, como a ética, a solidariedade e o amor. É preciso ainda buscar formas de neutralizar ou destruir “O Lado Obscuro”, seja por meios científicos, religiosos ou artísticos. É preciso, enfim, ter esperança e fé na capacidade humana de superar as adversidades e de construir um mundo melhor.

 

Citações:

  • “O Lado Obscuro”” é o maior inimigo da humanidade, e o maior desafio da política.” (Albert Einstein, físico)
  • “O Lado Obscuro” é uma força poderosa e sedutora, que pode corromper até os mais nobres e virtuosos.” (Mahatma Gandhi, líder pacifista)
  • “O Lado Obscuro” é uma realidade oculta e assustadora, que revela os segredos e mistérios da política.” (Dan Brown, escritor)
  • “O Lado Obscuro” é uma ilusão e uma mentira, que tenta enganar e manipular a humanidade.” (Dalai Lama, líder espiritual)
  • “O Lado Obscuro” é uma oportunidade e uma inspiração, que estimula a criatividade e a inovação da humanidade.” (Steve Jobs, empresário)

 

Bibliografia:

  • Asimov, I. (1951). Foundation. New York: Gnome Press.
  • Lucas, G. (1977). Star Wars. Los Angeles: 20th Century Fox.
  • Orwell, G. (1949). Nineteen Eighty-Four. London: Secker & Warburg.
  • Rowling, J. K. (1997). Harry Potter and the Philosopher
  • Stone. London: Bloomsbury.
  • Sagan, C. (1985). Contact. New York: Simon & Schuster.
  • Wells, H. G. (1898). The War of the Worlds. London: William Heinemann.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -