Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021
- Publicidade -

Nome do autor

Vítor Burity da Silva, Angola

Ph.D em Filosofia das Ciências Políticas. Doutor Honorário em Literatura e Filosofia. Professor Honorário de Filosofia da Educação. Professor Universitário. Investigador. Escritor.
159 Artigos
0 COMENTÁRIOS

Ao Fundo Pitangas

Na rua ainda, eu, na mesma, na de sempre, na inconfundível avenida dos imensos nadas, no seguimento antigo do rio ainda lá, se bem...

Ao Fundo Pitangas

As janelas fechadas. Escuro o quarto. A porta latia. Ausente. E o interruptor? Apalpei o soalho e buscava lentamente, alguma claridade que me ajudasse...

Ao Fundo Pitangas

Um café matinal. Diante refrescantes memórias. E raro lembrar-me dos teus olhos engolidos pelo tempo, dispersados pela indiferença, arredados das consequências 22 Saboreia da manhã, igual...

Ao Fundo Pitangas

Barcos de sol enchem o mar, enchem o ar os sonhos de sal. Os sonhos partem sobre o ar e ficam nas mãos os...

Ao Fundo Pitangas

A minha vontade é mandá-los bugiar e visitar um amigo dum bairro qualquer e comer sentado como se de gente se tratasse. 20 - Do lado...

Era uma vez Angola

Num prado de muito longe e parado, deito-me à sombra de sorrisos vadios para tentar pelo menos começar a noite e aí sim, fechar...

Ao Fundo Pitangas

Cores de mar abeiçam copos, bebo noites no vulgar. Sou assim um ar de nada como a águia do torpor sobre as casas moribundas,...

Ao Fundo Pitangas

Quase madrugada. O suculento frio entra pelo escuro e encantador dilúvio de estrelas, que preenchem por completo o constelado céu, que se murmura cintilante 18 Sobre...

Ao Fundo Pitangas

E numa rua qualquer, sei lá, morri, numa esquina à caminho da escola, a manhã rompia num vagar tão lento que irritava e não...

Ao Fundo Pitangas

Não sei de facto como devorar com passos o escuro que busco, mas que seguir é mesmo lema, que importa não haver quem comigo...

Ao Fundo Pitangas

Jardins, entrelaçados com o silêncio, charcos azedos a chapinhar no medo, rostos quase já não, vento e pouco mais, fantasia e eu, a entrar...

Angola, um sonho perdido

Acordei nobre na maresia de uma insónia escura lá pelos lados do nada, uma estátua inventada e um sorriso encontrado para me limitarem a...

Ao Fundo Pitangas

Nas ruas, magotes de raros passos, de tudo e todos, ali seguindo todos os vãos, e nada vãos, todos os momentos como quem inventara...

Ao Fundo Pitangas

Vivo nestes cobertores quentes, desta vida estimulada pelas mãos da noite. Cubro-me quente e repito o sono. Repenso os planos da vida e descanso. 13 As...

Ao Fundo Pitangas

Passo, quase indiferente, parcialmente consciente e quase ali presente, resvalo as margens com história, as margens que brilham um silêncio invulgar, ou da janela...

Últimas notícias

- Publicidade -