Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Janeiro 26, 2022

Planeamento Estratégico

Nuno Militão, em Santarém
Licenciado em Gestão Comercial. Consultor/Formador de Gestão.

A gestão estratégica é hoje um dos principais desafios dos gestores em todas as organizações. Num mundo em permanente mudança, o conhecimento, a criatividade e a inovação são pilares da competitividade das empresas. No momento atual, as empresas necessitam de gestores capazes de transformar ameaças em oportunidades, liderando as equipas em torno de um objetivo comum. Neste contexto, é fundamental que os decisores (empresários/gestores), adquiram novos conhecimentos, implementem novos métodos, novas práticas de gestão, o que lhes vai permitir uma maior eficácia na tomada de decisões.

Outro dos fatores que faz com que a gestão estratégica seja imprescindível numa empresa, são as constantes mudanças no mercado e as fases económicas que atravessamos. Podem surgir crises a toda a hora, assim como períodos de recuperação económica. Neste sentido as empresas precisam de ter a flexibilidade e inteligência suficiente para aproveitar cada momento, para que rapidamente possam adequar a sua estratégia.

 

Mas afinal o que é o Planeamento Estratégico?

É um processo contínuo e dinâmico de planeamento, organização, liderança e controlo através do qual as organizações determinam “onde estão”, para “onde querem ir” e “como vão lá chegar”, agindo em conformidade com o caminho traçado e ajustando-se continuamente às alterações ocorridas no meio envolvente e às necessidades dos clientes.

  • As empresas que apresentam os melhores desempenhos devem-no a uma boa compreensão das questões estratégicas.
  • O sucesso geralmente resulta da boa condução de um processo de reflexão, decisão e Acão, que vai da análise e formulação até à implementação e controlo.
  • Neste processo evolutivo passa-se por diferentes estados em que se atende às necessidades e exigências dos clientes e dos mercados, às expetativas dos acionistas, dos fornecedores e dos empregados e se faz uma gestão dos interesses de pessoas e grupos culturalmente diferentes.

 

Conceitos de Estratégia

  • Peter Drucker (1954): a estratégia organizacional começou por ser a resposta às seguintes questões:
    • Qual é o nosso negócio ?
    • Qual poderia ser o nosso negócio ?
  • Para Alfred Chandler (1962): a estratégia consiste na definição dos objetivos de longo prazo, a adoção de linhas de Acão e a atribuição de recursos à satisfação desses objetivos.
  • Igor Ansoff (1965) e Kenneth (1971) Estes foram os primeiros autores a analisar o conceito de estratégia e a distinguir os processos da formulação e da implementação.
  • Porter (1980): do posicionamento ao movimento, ou seja, uma estratégia de qualidade deve ter atenção à sua formulação e à sua implantação. Trata-se de uma definição ampla que remete para os “fins” e “objetivos” (lado da procura) e para os “meios” e “planos” (lado da oferta).

 

Estratégia

 

Estratégia deriva do termo grego strategos que combina stratos com liderar. Assim strategos significa literalmente “a função do general do exercito”

  • No meio empresarial podemos dizer que a finalidade da estratégia é a do alcance de uma vantagem competitiva sustentável.

 

Fontes de vantagem competitiva

Gestão dos recursos financeiros, Melhoria de processos, Melhoria de produtos, Inovação e I&D de produtos, Marketing, Qualidade, Investimento, Internacionalização, Recursos Humanos, Preocupações Ambientais, Ecológicas e Sociais, Espírito de Iniciativa Empresarial e Empreendedorismo, Conhecimento e Aprendizagem Organizacional, Estrutura e Características Organizacionais, Sistemas de Informação e Comunicação, Políticas de Benchmarking e imitação, Cultura Organizacional, Crescimento Empresarial, Política de Fusões e Aquisições, Imagem de marca e reputação da empresa, Serviço prestado ao cliente, Relações com Clientes, Relações com Fornecedores, Relações com outras organizações, Estado (políticas nacionais, educação, incentivos), Satisfação dos consumidores, Produtividade, Satisfação dos trabalhadores e colaboradores, Redução de custos, e resposta rápida ao cliente, Eficiência da estrutura organizacional, Subcontratação e competências, Oferta ampla e diversificada de produtos, Entrega e distribuição, Design, Planeamento estratégico da empresa, Introdução de novos produtos no mercado, Internacionalização.

Se você conhece o inimigo e também se conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem se conhece a si mesmo, perderá todas as batalhas.”

 

Para que serve o Planeamento Estratégico?

  • Define os objetivos da organização
  • Identifica os pontos fortes e fracos
  • Visualiza as oportunidades e ameaças presentes no ambiente
  • Ajuda a organização a refletir sobre o seu futuro
  • Facilita o processo de tomada de decisões
  • Estabelece indicadores de avaliação e controle

 

As fases do Planeamento Estratégico

Fase 1. Definição da Missão e da Visão

  • A missão é uma declaração concisa do propósito e das responsabilidades da sua empresa perante os seus clientes. (A missão da Volkswagen Autoeuropa é produzir veículos automóveis de elevada qualidade, através do desenvolvimento de competências dos recursos humanos orientados pela inovação e assente nos princípios de criação de valor, flexibilidade e responsabilidade social);
  • A visão é a descrição do futuro desejado para a empresa. (A Volkswagen Autoeuropa aspira ser o modelo de competência e inovação na marca Volkswagen).

 

Fase 2. Análise Swot

A análise SWOT, – ou Matriz SWOT – foi desenvolvida na década de 60 por Albert Humphrey, que na Universidade de Stanford, liderou um projeto de pesquisa onde analisou e cruzou sistematicamente os dados das 500 maiores corporações relatadas pela revista Fortune da época, utilizando um método que, rapidamente, se transformou em um exercício utilizado por todas as principais empresas do mundo na formulação de suas estratégias.

A Análise SWOT é um sistema simples de analise que visa posicionar ou verificar a posição estratégica de uma determinada empresa em seu ramo de atuação, e devido sua simplicidade metodológica pode ser utilizada para fazer qualquer tipo de análise de cenário ou ambiente, desde a criação de um site à gestão de uma multinacional.

 

  • Podemos dizer então que o conceito da Análise SWOT está na sua ampla utilização como método de gestão para o estudo dos ambientes interno e externo da empresa através da identificação e análise dos pontos fortes e fracos da organização, e das oportunidades e ameaças às quais ela está exposta. Pode-se dividir a análise SWOT em duas partes: ambiente interno, onde serão identificados os pontos fortes e os fracos, e a análise do ambiente externo, onde estão as ameaças e as oportunidades.

 

Ambiente Interno Forças

  • Atributos únicos do negócio;
  • Leva em direcção aos objectivos.
Fraquezas

  • O que a empresa não faz bem e poderia ser melhor;
  • Afasta dos objectivos.
Ambiente Externo Oportunidades

  • Disponível no mercado;
  • Não explorado nem pela empresa e nem pelos concorrentes;
  • Alinhado à visão e estratégia.
Ameaças

  • Potencial em prejudicar a performance do negócio;
  • Político, Social, Económico ou Tecnológico.

Figura 11:  Análise Swot

 

Fase 3. Definição de Objetivos

Depois de ter determinado a sua missão e analisado as suas envolventes externa e interna, a organização deverá definir os objetivos que pretende atingir. Estes poderão incluir:

  • O aumento da rentabilidade;
  • O crescimento das vendas;
  • O aumento da quota de mercado;
  • O aumento do ritmo de inovação.

 

Fase 4. Formulação da Estratégia

Os objetivos dizem o que é que a empresa quer atingir; a estratégia indica como é que o poderá fazer. Michael Porter identificou três tipos genéricos de estratégia, que são bons pontos de partida para o pensamento estratégico:

  • Liderança pelo preço: A unidade de negócios trabalha arduamente para alcançar o mínimo de custos de produção e distribuição, para poder praticar preços de venda mais baixos do que a concorrência e conquistar mais clientes;
  • Diferenciação: A unidade de negócio concentra-se em ter um desempenho superior numa determinada área, por exemplo: qualidade do produto e/ou do serviço, tecnologia de ponta, etc;
  • Foco: Neste caso, a unidade concentra-se num ou mais segmentos de mercado restritos e tenta conhecer o melhor possível o seu alvo.

 

Fase 5. Implementação

Os sete elementos chave de uma estratégia de sucesso são:

  • Estratégia;
  • Estrutura da empresa;
  • Sistemas/infra-estruturas de apoio;
  • Estilo de gestão;
  • Qualidade dos recursos humanos;
  • Qualificação do pessoal;
  • Cultura organizacional.

 

Fase 6. Controle estratégico

Assim que se inicia a implementação da estratégia, é necessário ir controlando a sua evolução e verificar se os resultados reais não têm grandes desvios relativamente aos objetivos previstos. A unidade de negócios também deverá estar preparada para fazer quaisquer tipos de ajustes ao processo de planeamento se constatar que serão necessários para cumprir os seus objetivos.

 

Por opção do autor, este artigo respeita o AO90

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -