Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 6, 2022

Postais de Natal contra a exploração de petróleo

Postais de Natal contra a exploração de petróleo

No entanto, em vigor continua o contrato para a prospecção ao longo da costa vicentina, a 50 quilómetros de Aljezur, com o consórcio da ENI e Galp.

Sensibilizar os governantes através de postais natalícios

A decisão é conhecida no mesmo dia em que termina a acção de sensibilização da Plataforma Algarve Livre de Petróleo (PALP), que dirigiu postais natalícios ao Primeiro-Ministro, Presidente da República e Ministro da Ambiente. Ao longo dos últimos meses, o movimento que reúne diversas organizações ambientais, contou com a intervenção dos cidadãos para subscreverem as obras criadas por artistas algarvios, a fim de sensibilizar os governantes contra o projecto de hidrocarbonetos na região algarvia.

A PALP aguarda ainda que o Primeiro-Ministro, António Costa, esclareça:

“a evidente incoerência existente entre as declarações que proferiu na 22ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP22), em que revelou querer um Portugal sem a emissão de gases com efeito de estufa até ao final da primeira metade deste século, e a manutenção das 15 concessões de prospecção e exploração de combustíveis fósseis”.

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) considerou que a rescisão dos contratos “peca por tardia”. “O que queremos é o Algarve com energias limpas, sem exploração de petróleo”, disse à Lusa, Jorge Botelho, também autarca de Tavira, ao recordar as duas providências cautelares que a AMAL interpôs para travar o processo.

“Felizmente, o Governo vai rescindir os contratos e consideramos que é uma boa decisão para a economia, para o ambiente e para o turismo, aquele que é o sector fundamental da região e que contribui com uma enorme percentagem para o PIB (Produto Interno Bruto) nacional”, acrescentou.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Caminhar

Boa pergunta

VER…

- Publicidade -