Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Julho 5, 2022

Presa sem provas. Solta para frabricarem provas. Provas de Moscatel na redacção

Guida Masco
Guida Masco
Uma personalidade conhecida que prefere o anonimato

Damos continuidade à publicação da Nova Guidinha da autoria de uma figura pública que por razões relacionadas com a manutenção do seu frontespício preferiu o anonimatoEntão vamos lá a pôr as ideias no sítio e se calhar ainda vai dar tempo para comer um pastel de nata de Belém que agora desde que não está lá o outro homem ainda sabem melhor no tempo dele e da outra senhora sabiam-me a pastelão ou a negócios com o Champalimaud ou com o BPN ou com o BES ou com já nem me lembro que aquilo foi mais de metade da democracia metida ao bolso e com ramo de laranjeira perdão rombo de laranja mas não era isso que eu queria dizer e isto é a gente a falar e imagino que agora eu me punha nos negócios e nos negócios da política e me punha a gamar e para disfarçar fugia e ia estudar para uma Faculdade de prestígio dessas francesas que em França aquilo não é Bolonha e depois vinha à terra matar saudades e era presa porque me acusavam de ter feito umas falcatruas dessas que dão para pagar as propinas e abrir um banco como o Dr. Relvas que afinal não é doutor é só rico e ninguém percebe de onde lhe veio os cabedais e depois eu era presa e depois pedia provas e depois não mas davam e depois punham-me na rua para terem tempo de arranjar provas e fabricar provas e publicar coisas em certos jornais onde as únicas provas são de moscatel quando é a época ou de vinho a martelo fora dela e depois passavam os prazos e depois porque as provas ainda estava a ser redigidas e na tipografia e nos assessores de comunicação que têm sempre boa disposição para as provas adiava-se a coisa e até haver provas tudo passava para outra data por exemplo para quando houvesse eleições nem que sejam autárquicas com casais de coelhos ele já deu o que tinha a dar e ela é uma coelha ao serviço de sua majestade como o Mr.Bean naquele filme e eu ainda queria falar da memória da dona Cristas que se esqueceu mas assinou ou se esqueceu do que assinou ou assinou mas esqueceu-se ou e quem sou eu para falar do vestido do kiwi e dos outros saias e casacos e tenho mais que fazer e para já ponto final que eu sou pródiga como o Marques Mendes mas sou um mulherão mal “acomparado” e ainda bem que não sou GNR e isto não é o Facebbok ou ainda abririam um processo e eu só abro o processo para quem bem me quer não queriam mais nada e outra vez ponto final

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

Os políticos

Titãs cantam: “Comida”

Além Tejo (1)

- Publicidade -