Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Dezembro 4, 2021

Respiro(te)

Poema inédito de Alice Coelho

Respiro(te)

Respiro o luar 
Numa tempestade da noite nua
Com nossos olhares a naufragar
Nas luzes acesas da deserta rua
Mãos quentes num colo a afagar
Respiro a maresia
Numa praia de espumas brancas
Com gaivotas em voos loucos
Areias com pegadas de crianças
Em desejos de ouvidos moucos
Respiro as flores
Numa praga de perfumes e aromas
Com cores diluídas em aguarelas
Com vozes de sonhos com idiomas
Em céu pintado de brilho e estrelas
Respiro(te) 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorNa passagem do tempo
Próximo artigoSe um dia…
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -