Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Setembro 25, 2021

Sempre que a leitura

Soneto de António Fernandes

Sempre que a leitura

Sempre que a leitura
é difícil e complexa
numa sala meio escura
meio clara de porta aberta

sem sol que entre janela
nem chuva que porta bata
vento que folha leva
do campo para a estrada

é o momento oportuno
para pensar duas vezes
se o dia é um livro aberto

suficientemente desperto
nas palavras que deduzes
serem um grito seguro

(in Por Atalhos de Silêncios
2018, Abril, Edição do autor)

Ilustração: Foto de António Fernandes

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorLiberta(me)
Próximo artigoO Muro
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -