Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Dezembro 8, 2021

Sentei-me no teu silêncio

Poema inédito de Alice Coelho

Sentei-me no teu silêncio

À espera do que o vento traz
Se é poeira ou se é segredo
Se uma palavra que satisfaz
Lida nas ranhuras do rochedo

Sentei-me no teu silêncio

Com a febre do tempo perdido
Na nudez do sussurro silvado
Encalhada no poema preferido
Na surdina do sorriso estouvado

Sentei-me no teu silêncio

Na escuridão das noites vadias
Que varrem as lágrimas caídas
Duma chegada enquanto partia
Nos entretantos da tua melodia

Sentei-me no teu silêncio

 


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -