Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Dezembro 2, 2021

Terapia da dança

Uma avançou demais e depois pediu desculpas por telefone; uns não gostaram da máscara que a taça trouxe como brinde e fizeram um desempate com uma manifestação violenta. Continuo contando os remendos na estrada, agora com mais frequência, pois há uma necessidade de camuflar os tramancos dos cofres do estado e justificar como o cabrito mastiga onde está amarrado.

Nessa da poliandria fico sem saber qual é o meu estado civil, e acabei descobrido o significado da alcunha Mor (minha outra relação), afinal nunca escondemos nada, estava tudo encriptado nos códigos de Da Vinci.

Estou em festa comemorando o triunfo da minha sósia, sim… Tirando os peitos avantajados e o facto de ter ofuscado a primeira-dama do outro somos igualzinhas, umas verdadeiras damas de ferro. Por isso juntei o útil ao agradável e dancei a noite toda e outra vez fazendo sala ao reumatismo… Mas pude vingar-me da tristeza de não te ter, meu comandante, e na terapia da dança desanuviar toda esta saudade que tenho de ti.

E outra vez o abraço caridoso que me consola e conforta. E lá vamos nós a espera do prometido nas eleições.

A autora escreve em PT Angola

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorIdiossincrasias
Próximo artigoViver por viver
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -