Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 24, 2021

Trago-te

Poema inédito de Alice Coelho

Trago-te

No meu olhar
Na solidão dos dedos
Na sombra que se faz
O silêncio das manhãs
O brilho das madrugadas
E deixo tudo para trás.
Trago-te
No meu pensamento
Nos sonhos em desalinho
Na claridade que se desfaz
Nos sorrisos boquiabertos
Nas mãos cheias de nada
E deixo tudo para trás
Trago-te
No meu coração
Sem pressas num poema
Com as emoções ao vento
No gesto debruado de paz
Com desejos sem lamento
E deixo tudo para trás
Deixo-te
Num tempo sem tempo
De palavras apressadas
No andar de passo lento
E poesias amaldiçoadas
Trago-te

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorVoz inquieta
Próximo artigoAcordar
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -