Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Outubro 23, 2021

UNITA afirma: “MPLA pretende apresentar falsos ex-militantes da UNITA”

Francisco Do Nascimento, em Luanda
Correspondente em Luanda, Angola

O Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA), partido que governa o país há mais de 40 anos, realizou um comício político neste Sábado no município de Viana, província de Luanda. O acto visou apresentar o vice-presidente do partido e cabeça de lista para as próximas eleições, João Lourenço.

Além do acto político, a actividade contarou também com um espectáculo musical, com presenças de alguns músicos da nossa praça. Viana, é actualmente o município mais populoso de Angola, com mais de 3.500.000 habitantes, segundo o censo realizado em 2014, por essa razão, a disputa eleitoral naquele município é bastante renhida.

Prova disto, é que recentemente a UNITA, maior partido na oposição angolana, realizou igualmente um comício político naquele município, cujo acto contou com milhares de pessoas, entre militantes, simpatizantes e amigos do partido fundado por Jonas Savimbi.

Além de apresentar o seu candidato às eleições previstas para Agosto, O MPLA pretendeu superar a enchente protagonizada pelo presidente e candidato da UNITA, Isaías Samakuva. E para conseguir tal pretensão, o conhecido partido maioritário terá utilizado vários mecanismos não só legais, como alegadamente ilegais também. Segundo fontes, “vários funcionários públicos, bem como alunos de algumas escolas públicas em Luanda, terão sido obrigados a participar no referido evento”.

Entretanto, no mesmo acto que contarou com vários dirigentes do partido e distintos convidados, o MPLA pretenderia, ainda, “apresentar supostos militantes do seu rival político, a UNITA, como rendidos ao partido liderado por José Eduardo dos Santos”. Esta denúncia foi feita por António Kutchianguia, secretário regional da UNITA em Viana.

Segundo o dirigente do galo negro, “os cidadãos que serão apresentados como novos militantes do MPLA” nunca foram militantes do seu partido, e acusa o seu rival MPLA, de “querer fragilizar e descredibilizar a UNITA espalhando boatos e mentiras sobre o partido”.

O dirigente apela ainda à sociedade a “estar atenta, às artimanhas que o MPLA pretende utilizar para ludibriar o povo angolano durante a campanha eleitoral”.

O autor escreve em PT Angola

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -