Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Julho 28, 2021

Está preparado para ser Empreendedor?

Nuno Militão, em Santarém
Licenciado em Gestão Comercial. Consultor/Formador de Gestão.

Os empreendedores são líderes natos, são pessoas criativas e com iniciativa, conseguem tomar decisões rapidamente e mantê-las, são visionários, trabalhadores esforçados e extremamente perspicazes

Segundo Augusto Cury:

“Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por locais desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória. É não esperar uma herança, mas construir uma história…. Quantos projetos você deixou para trás? Quantas vezes seus temores bloquearam seus sonhos? Ser um empreendedor não é esperar a felicidade acontecer, mas conquistá-la”
(Cury, 2011).

Ser empreendedor é ser detentor de algumas características, como criatividade, proatividade, organização, responsabilidade, capacidade de liderança, gestão de talentos e trabalho em equipa, assumir riscos, controlar resultados, ter uma boa visão do futuro, saber aproveitar as oportunidades, ser agente da mudança, ser resiliente, saber ouvir, facilidade em comunicar e sobretudo encarar os fracassos como uma oportunidade de aprender e ser cada vez melhor.

Os empreendedores são líderes natos, são pessoas criativas e com iniciativa, conseguem tomar decisões rapidamente e mantê-las, são visionários, trabalhadores esforçados e extremamente perspicazes, têm uma personalidade exigente e são extrovertidas, mas por outro lado são geralmente pessoas teimosas e impacientes. Para se tornar no seu próprio chefe, é preciso mais do que sacrifício, é preciso trabalhar muito e de forma consistente e na maioria das vezes com pouco retorno imediato. Segundo um estudo realizado na União Europeia, o sucesso empresarial depende em 25% das ideias de negócio e em 75% das pessoas que as levam à prática.

As oportunidades existentes para os potenciais empreendedores podem ser consideradas como fatores positivos, pois os benefícios daí resultantes constituem um valor acrescentado para os potenciais envolvidos.

Todos os que são empurrados para o empreendedorismo, são normalmente pessoas desempregadas. Assim, o empreendedorismo de necessidade torna-se um caminho mais penoso, pois corresponde a uma situação na qual a pessoa se encontra mais por força das circunstâncias do que propriamente por escolha ou vocação.

As razões pessoais para ser empreendedor geralmente são as mesmas entre aqueles que resolvem dispor do seu capital e do seu próprio tempo na abertura de um pequeno negócio. Entre outros motivos está o desejo de ser o patrão de si próprio, de conquistar a tão desejada independência financeira. Estas são as razões principais para os novos empreendedores iniciarem um negócio, de uma forma tão “romântica” e superficial que os poderá levar ao fracasso.

O facto de se tornar empresário vai criar uma série de inúmeras novas responsabilidades ao empreendedor, significa que estará disposto a enfrentar o comando do dia-a-dia do negócio, adaptar-se a si próprio, à família e ao seu estilo de vida, às condições que a sua empresa vai exigir e isso nem sempre é fácil. Também terá de converter o cliente no seu principal foco, pois se não se alinhar com as suas expetativas e necessidades dificilmente poderá ter sucesso.

É normal que todo o empreendedor queira obter lucros, mas para uma empresa ser financeiramente viável é preciso que um conjunto de fatores estejam em sintonia, de forma a criar condições para que a empresa lucre e dê retorno, o que nem sempre acontece a curto prazo. A ideia de ficar rico quando se abrem portas é muito remota, para não dizer impossível, segundo Emerson (2016), o retorno do investimento nas pequenas empresas é em média de 18 meses e a empresa passa os primeiros 36 meses sem gerar qualquer lucro, pois só no quarto ano a empresa se tornará auto-sustentável. Para uma empresa dar certo é necessário realizar um plano de negócio detalhado, analisar o mercado e oferecer ao cliente algo diferenciador.


Por opção do autor, este artigo respeita o AO90


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -