Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Outubro 21, 2021

Helsínquia

Capital da Finlândia, Helsínquia tem cerca de 640.000 habitantes, num total de 5,5 milhões que possui a Finlândia. A área metropolitana da cidade tem à volta de 1,3 milhões de habitantes. É o país menos densamente povoado da União Europeia, tendo em conta a sua extensão geográfica.

A cidade de Helsínquia foi fundada pelos suecos no século XVI com o objetivo de ser um ponto estratégico no Mar Báltico. A Finlândia pertenceu à Suécia entre os séculos XII e XIX. Em 1809, e após uma grande e intensa  guerra, passou a pertencer à Rússia, um Grão-Ducado autónomo dentro do Império Russo.  Em 1917, com a Revolução Russa, o país tornou-se independente. As duas línguas oficiais da Finlândia são o finlandês e o sueco (ambas ensinadas nas escolas, sendo o sueco a segunda língua oficial, a seguir ao finlandês). A maioria da população, contudo, fala muito bem inglês, o que facilita a comunicação com qualquer turista. A Finlândia faz parte da União Europeia desde 1995, sendo a sua moeda o Euro.

Os finlandeses

Tidos como frios, tal não corresponde à realidade. São tímidos e reservados aos primeiros contactos, e no geral menos espontâneos e menos extrovertidos do que os latinos, por exemplo. Mas passado o tempo, são amáveis, faladores e sociáveis. As suas características físicas são de olhos claros, alvos e altos q.b. Os finlandeses fazem muito turismo com os restantes países escandinavos e estes entre eles de igual modo.

Onde ficar

Recomendo vivamente o Hotel Kämp, mesmo no centro de Helsínquia, na Avenida Esplanade. A rede Scandic de hotéis costuma ser muito boa em todos os países escandinavos, onde estão também na Finlândia/Helsínquia.

O que visitar

Praça do Senado

A Praça do Senado é o principal ponto turístico de Helsínquia. Construída em estilo neoclássico, é uma das mais belas da Europa. Os edifícios originais que formavam a praça foram incendiados em 1808. Assim quando a Finlândia passou a fazer parte do Império Russo o Czar enviou um de seus melhores arquitetos para reconstruir a praça. Foi quando ela recebeu a estátua do Czar Alexander II, que nunca forçou a “russificação” dos finlandeses, além de ter dado mais autonomia ao país. Em 1809, ele fez de Helsínquia a capital da Finlândia e o centro da cidade foi desenhado ao estilo de São Petersburgo.

Obelisco Pedra da Czarina

O monumento no centro da Praça, conhecido como Pedra da Czarina, com a águia de duas cabeças, que é o símbolo da Rússia Imperial, foi erguido em 1835 para celebrar a visita do Czar Nicolau e da Czarina Alexandra.

Catedral Luterana – Tuomiokirkko

A Catedral Luterana, também conhecida como Catedral Branca, foi construída em 1852 e possui uma espetacular e belíssima cúpula, além das estátuas dos doze apóstolos.

O seu interior é extremamente simples e totalmente branco, exatamente como desejavam os reformistas. Apenas o púlpito e o grande órgão são relevantes, além de algumas esculturas como a do reformista Mikael Agricola. Agricola foi muito importante importante para a Literatura Finlandesa, sendo a sua maior obra a tradução do Novo Testamento para a língua finlandesa.

A maioria dos finlandeses são batizados, contudo, e de um modo geral os luteranos frequentam a igreja apenas para ocasiões especiais como casamentos, funerais e Natal.

Catedral Ortodoxa – Uspenski

Exatamente o oposto da Catedral Branca, é a Catedral Ortodoxa. De tijolos vermelhos, situada no alto de uma colina e com vista para o porto e para a cidade. Foi construída entre 1862 e 1868 durante o período em que reinava o Czar Alexander II.

A cúpula principal representa o Sagrado Coração de Jesus, enquanto as cúpulas menores representam os corações dos 12 apóstolos.

O seu interior apresenta vários ícones religiosos, com paredes decoradas em dourado, como é comum nas igrejas ortodoxas.

Obs: Cerca de 1% da população do país pertence à Igreja Ortodoxa Finlandesa.

Esplanadi

Esplanadi é uma longa Avenida com elegantes edifícios em ambos os lados. Com largas calçadas e um grande parque na área central. Muito popular entre os locais, fica repleta de pessoas, especialmente nos fins de semana, quando passeiam ou vão às compras. As melhores lojas da cidade estão localizados aqui nesta Avenida, assim como muitos cafés onde as pessoas se sentam para conversar, conviver e tomar uma bebida. É precisamente aqui nesta Avenida que fica o Hotel Kämp que recomendava acima.

Café Kapelli

Fica na Esplanadi precisamente. É um café lindo, apropriado para sentar, conversar e relaxar. Este café é um símbolo. Foi sempre muito frequentado pelos oficiais russos, pelos intelectuais e artistas finlandeses do século XIX.

Praça do Mercado – Kauppatori

No prolongamento da Esplanadi, encontra-se esta Praça onde podemos encontrar um pouco de tudo, desde frutas e vegetais até souvenires e artesanato típico local. De referir que os finlandeses se sentem muito orgulhosos pelo facto dos seus vegetais serem, na sua grande maioria, totalmente orgânicos.

Este mercado é o local preferido dos turistas para um almoço rápido e não muito caro, uma vez que o custo de vida na Finlândia é elevado. O salmão não pode deixar de constar aqui também, sendo o prato preferido dos finlandeses e dos escandinavos em geral.

Monumento a Sibelius

Este monumento foi erguido em 1967, uma obra da escultora finlandesa Eila Hiltunen. A escultura abstrata consiste em mais de 600 tubos de aço, agrupados de forma irregular em várias alturas com o tubo mais alto atingindo mais de 27 metros. O monumento foi projetado para incorporar o espírito da música de Jean Sibelius (1865-1957), compositor finlandês de música erudita. Mas a sua natureza abstrata deu origem a muitas críticas, pois muitos eram de opinião que o monumento não honrava devidamente o compositor. Por este motivo e descontentamento, um grande busto do artista foi colocado próximo ao monumento. De salientar que a música de J. Sibelius teve o seu papel importante na formação da identidade nacional finlandesa.

Bad Bad Boy

No market square (praça do mercado) esta estátua tem 8.5 metros de altura, e foi construída para uma exposição em 2014. É obra do artista Tommi Toija e produzida pelo Museu de Arte Amos Anderson. Depois do fim da exposição, a estátua foi mudada para o local onde está agora, no West Harbour.(Trata-se de uma estátua em forma de um rapaz gigante ao estilo manneke pis em Bruxelas)

 Estação de comboio

Construída no início do século XX, vale a visita.

Museus

Museu Nacional da Finlândia
Museu Nacional da Finlândia

Helsínquia é rica em museus. Alguns a valer a pena:

  • Museu Nacional da Finlândia, um Museu que conta a história do país.
  • Museu Atenum, é um Museu de Arte da Finlândia.
  • Museu Kiasma, um Museu de Arte Contemporânea.

City Tour

Tal como em todas as capitais europeias, pode-se ir de autocarro fazer um tour pela cidade. Fica-se com uma boa ideia da cidade de Helsínquia, não apenas do centro.

SkyWheel

Uma roda gigante ao estilo da London Eye. Um detalhe: sendo a sauna um ritual  nacional dos finlandeses (e dos nórdicos em geral), fazendo parte da sua cultura, experimente fazer sauna enquanto anda numa das rodas gigantes da SkyWheel. Quer algo mais diferente e aventureiro?

Ilha Fortaleza de Suomenlina

Caso queira e/ou tenha tempo, pegue um barco/ferry em Square Market para visitar a Ilha de Suomenlina e a sua fortaleza, Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. A fortaleza fica a 10 minutos de Helsínquia, e foi construída em 1748, quando a Finlândia pertencia à Suécia, e serviu como proteção estratégica para a Suécia, Rússia, e por fim a Finlândia. Hoje serve como parque e praia onde a população local e turistas gostam de passar o dia, principalmente no verão. É habitada por quase mil pessoas. Eu visitei e adorei.

 

Nota: Quem quiser, no Inverno, por altura do Natal, apesar das baixas temperaturas, sempre pode também ir até à Lapónia, onde neva e é um lugar idílico, sobretudo para as crianças visitarem lá o famoso Pai Natal.


Por opção do autor, este artigo respeita o AO90



Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorCopenhagen
Próximo artigoLondon, London
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -