Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sábado, Novembro 27, 2021

Janela….

Poema inédito de Alice Coelho

Janela….

Quero uma janela
Virada para o mar
No pé uma chinela
Na maresia o olhar
Quero uma janela
Longe do teu ruído
A oração em capela
Chuva no teu ouvido
Quero uma janela
Com ou sem cortina
Com cheiro a canela
Num sabor a gelatina
Corpo nu enregelado
Numa fria madrugada
Em céu azul nublado
Em teu colo abrigada
Janela desperta.
Entreaberta.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorPensamentos
Próximo artigoTristeza
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -