Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 24, 2021

Lendo Sérgio Ninguém, PEDRA II

Yvette Centeno
Licenciou-se em Filologia Germânica, e e doutorou-se com uma tese sobre A alquimia no Fausto de Goethe. É desde 1983 Professora Catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde fundou o Gabinete de Estudos de Simbologia, actualmente integrado no Centro de Estudos do Imaginário Literário.

Poema de Yvette Centeno

Lendo Sérgio Ninguém, PEDRA II

Não é fácil pegar fogo

ao coração da pedra

pequeno seixo polido

por tantas águas antigas

as chamas já apagadas

na cicatriz das feridas

ali estavam as infâncias

as brincadeiras de outrora

primeiro beijo roubado

nas memórias esquecidas

variante: as chamas já feitas cinzas

16 de Setembro, 2021

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorAquieto-me
Próximo artigoPensamentos
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -