Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Olimpíada não terá público após estado de emergência em Tóquio

Japão enfrenta aumento de casos da variante Delta da covid-19.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio não terão espectadores, anunciaram os organizadores nesta quinta-feira (8), à medida que o ressurgimento da pandemia de covid-19 obrigou o Japão a declarar estado de emergência para a capital que vigorará durante o período do evento.

Tóquio relatou 920 casos de coronavírus na quarta-feira, o maior desde maio. “As infecções estão em sua fase de expansão e todos neste país devem entender firmemente a seriedade disso”, disse o Dr. Shigeru Omi, um importante consultor médico do governo.

Embora amplamente esperado, o movimento marcou uma mudança de tom brusca em relação às semanas anteriores, quando os organizadores disseram que pretendiam realizar o espetáculo desportivo mundial com uma quantidade limitada de espectadores.

A maioria dos japoneses ainda se opõe à realização dos Jogos em meio à pandemia e ao lento lançamento da vacina. Cerca de um quarto da população do Japão recebeu pelo menos uma dose de vacina.

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse nesta quinta-feira (8) que é essencial evitar que Tóquio, onde a variante altamente infecciosa Delta da covid-19 está se espalhando, se torne fonte de outra onda de infecções.

Os locais fora da grande área metropolitana de Tóquio permitiriam um número limitado de espectadores, e a política para os eventos paralímpicos será decidida no próximo mês, disse o governo.

Mas a decisão desta quinta-feira (8) praticamente rouba os Jogos de seu último vestígio de esplendor e espetáculo público.

“É lamentável que estejamos realizando os Jogos em um formato muito limitado, enfrentando a disseminação de infecções por coronavírus”, disse o presidente da Tóquio-2020, Seiko Hashimoto, após conversas entre autoridades do governo, organizadores de Tóquio e representantes olímpicos e paralímpicos. “Sinto muito por aqueles que compraram ingressos e todos nas áreas locais.”

Os Jogos Olímpicos, que foram adiados em um ano devido à pandemia, acontecerão de 23 de julho a 8 de agosto.

Antes visto como uma chance para o Japão se destacar no cenário global após um terremoto devastador há dez anos, o evento principal foi adiado pela pandemia do ano passado e foi atingido por enormes estouros de orçamento.

As Olimpíadas estão avançando contra a maioria dos conselhos médicos, em parte porque o adiamento paralisou o fluxo de receita do Comitê Olímpico Internacional (COI). Ela obtém quase 75% de sua receita com a venda de direitos de transmissão, e as estimativas sugerem que ela perderia de US $ 3 bilhões a US $ 4 bilhões se as Olimpíadas fossem canceladas.

Alerta médico

Especialistas médicos dizem há semanas que não ter espectadores na Olimpíada seria a opção menos arriscada em meio aos temores públicos de que a chegada de milhares de atletas e autoridades desencadeará uma nova onda de infecções.

O revezamento da tocha foi reduzido ou retirado das vias públicas e os eventos promocionais cancelados. Tóquio –que vinha contando com uma explosão recorde no turismo– não experimentou o burburinho e a agitação que normalmente caracterizam as cidades-sede dos Jogos.

As prefeituras de Kanagawa, Saitama e Chiba, vizinhas de Tóquio, também não permitirão espectadores em seus eventos olímpicos, disse o governo.

Suga disse que as infecções por Covid-19 estão aumentando em Tóquio, em parte devido à variante Delta, alertando que ela pode atingir o resto do país.

“Devemos absolutamente evitar que Tóquio seja o ponto de partida novamente para outra disseminação da infecção”, disse ele em coletiva de imprensa, acrescentando que o programa de vacinação do Japão está fazendo “bons progressos”.

O foco principal da declaração de emergência é a solicitação de fechamento de bares, restaurantes e karaokês que servem bebidas alcoólicas.

A proibição de servir bebidas alcoólicas é um passo fundamental para diminuir o ritmo das festividades olímpicas e impedir as pessoas de beber e festejar. Os residentes de Tóquio devem atender a pedidos de ficar em casa e assistir aos jogos na TV de casa.

Distribuição lenta de vacinas

O Japão não testemunha o tipo de surto explosivo de Covid-19 visto em outras partes do mundo, mas acumula mais de 810 mil casos e 14.900 mortes.

Por causa da distribuição lenta de vacinas contra Covid-19, só um quarto da população recebeu ao menos uma dose.

O novo estado de emergência de Tóquio chega no momento em que a cidade anunciou 896 infecções novas nesta quinta-feira, cifra próxima das altas vistas pela última vez em meados de maio.

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que comandou as negociações desta quinta-feira depois de chegar a Tóquio no início do dia, disse a repórteres que medidas rígidas foram tomadas e foram bem-sucedidas.


Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -