Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Setembro 28, 2021

Sérgio Nazar David, Gelo

Yvette Centeno
Licenciou-se em Filologia Germânica, e e doutorou-se com uma tese sobre A alquimia no Fausto de Goethe. É desde 1983 Professora Catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde fundou o Gabinete de Estudos de Simbologia, actualmente integrado no Centro de Estudos do Imaginário Literário.

Gelo, eis o poema e um comentário…

eis o poema:

Gelo

Noite passada em sonho
te levei para conhecer o gelo.
Viste as ideias abstratas

postas à prova. O objeto
sem forma, embora assim
não pareça, no copo

vazio ou cheio. Num pico
de neve: escarpas de medo
e coragem ardendo.

As mãos frias dos mortos
têm esse fogo por dentro.




Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorPasseio
Próximo artigoCaminhar
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -