Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quinta-feira, Setembro 23, 2021
- Publicidade -

Nome do autor

Beatriz Aquino

Formada em Publicidade e Propaganda. É escritora e atriz de teatro. Nascida no Brasil a viver em Portugal.
57 Artigos
0 COMENTÁRIOS

Cartas do outro verso do Atlântico

(Ou bilhetes para atravessar a escuridão) É difícil ser sóbria e boa. Também eu faço parte da grande multidão perdida, dessa grossa amálgama de martírio...

A sutileza do fascismo

O nosso clown. O representante mor da nossa mais íntima e primitiva barbárie. Protegido e ancorado por um subliminar fascismo. O futuro é o...

Tento decifrar a tarde que cai em teus olhos

Poema inédito de Beatriz Aquino Tento decifrar a tarde que cai em teus olhos E descobrir se enquanto sorves da tua janela o profundo azul do...

Eu, pronome indefinido

Descobri que tudo o que o realmente importa está na irrelevância das coisas. O rio quando seca, o pó que levanta quando alguém bate...

Negras são as noites…

Cantem Marias, cantem, pois o grande dia não vem... Negras são as noites e as damas que por elas transitam. Amélias, Camélias, Justinas, Consoladoras, Marias......

“Os afetos são revolucionários”

“A verdadeira família tradicional brasileira é indígena.” “Não há futuro dentro do capitalismo.” Não. Essas não são palavras proferidas pelo filósofo da vez em alguma palestra...

Também eu sou como um náufrago a intuir caminhos

Poema inédito de Beatriz Aquino Também eu sou como um náufrago a intuir caminhos Também eu sou como um náufrago a intuir caminhos, e a pensar adivinhar-te...

Era noite e todos dormiam

Poema inédito de Beatriz Aquino Era noite e todos dormiam Era noite e todos dormiam. Dormiam as carpas em suas casas de aluguéis, inquilinas coloridas do divino. Dormiam todos. Imóveis. A respiração...

“Agora que o hálito fétido de 64 nos bafeja a nuca…”

Faço minhas as palavras do Sr. Ariclenes. Do ser humano que ele é. Não apenas do Lima Duarte, o ator. Do Sinhôzinho Malta, do...

É ao lado da poesia que me quero

Poema inédito de Beatriz Aquino É ao lado da poesia que me quero É ao lado da poesia que me quero, correndo livre no subjetivo das coisas, surfando...

O pesado verbo da ignorância

O homem que vende antídotos e milagres me assusta, decerto. Mas o que assusta mais é a turba cega, surda, sedenta. Nero, Mussolini e...

Agora que temos tempo…

Sartre já dizia que o inferno são os outros. Pois bem. Antes, e um antes que significa até a semana passada, tínhamos pouco tempo. Corríamos...

Últimas notícias

- Publicidade -