Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 17, 2021

Como o Euro tornou Portugal (muito) mais pobre…

José Mateus
Analista e conferencista de Geo-estratégia e Inteligência Económica

Portugal é um dos que mais perdeu com a adopção da “moeda única”

Se dúvidas restassem, este estudo alemão do Centrum für Europäische Politik chegaria para as dissipar de vez: Dos 8 Estados estudados pelo CEP, Portugal é um dos que mais perdeu com a adopção da “moeda única”, em números absolutos mas, se relativizarmos as perdas, somos o Estado mais negativamente afectado.

Ou seja, é muito mais grave (face ao nosso PIB) para um português perder 40,6 mil euros do que para um francês perder 55,9 mil ou mesmo para um italiano perder 73,6 mil euros…

O grande ganhador tem sido, é claro, a Alemanha: com o Euro, cada alemão ganhou 23,1 mil euros! Vejamos o que cada um dos oito Estados estudados perdeu ou ganhou.

20 Years of the Euro: Winners and Losers

20 years after the introduction of the euro, cep has analysed which countries have gained from the euro and which ones have lost out. This involved an analysis of how high the per-capita GDP of a specific eurozone country would have been if the euro had not been introduced.

In its analysis, CEP comes to the conclusion that Germany has gained most from the introduction of the euro: almost € 1.9 trillion between 1999 and 2017. This amounts to around € 23,000 per inhabitant. Otherwise, only the Netherlands has gained substantial benefits from the introducing the euro. In most of the other countries analysed, the euro has resulted in a drop in prosperity: € 3.6 trillion in France and as much as € 4.3 trillion in Italy. In France, this amounts to € 56,000 per capita and in Italy € 74,000. 


Estudo / PDF



Exclusivo Tornado / IntelNomics


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante  subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -