Diário
Director

Independente
João de Sousa

Quarta-feira, Setembro 29, 2021

O filme que eu quero – Narciso em férias

Este filme que pode ser dito de Caetano Veloso, “Narciso em férias” é o cinema que eu quero, como disse no manifesto O Cinema do Futuro, que está inclusive na minha biografia.

“Narciso em férias” é um filme com Caetano sentado numa poltrona e narrando durante 1h20m o que foi a sua prisão de dois meses em 68 pelos militares golpistas. É um filme genial, maravilhoso, mas isso não quer dizer que não tenha erros, pois do ponto de vista de realização cinematográfica poderia ser muito aperfeiçoado.

Eu digo que o filme não é dos diretores nem da equipe técnica, mas é um filme do compositor cantor Caetano Veloso, porque se não fosse a genialidade desse baiano o filme não existiria. Nenhum cineasta teria condições de criar esse filme se não existisse o autor capaz de narrar tudo com a naturalidade, como acontece. Inclusive, poderia não ter havido perguntas, as existentes são desnecessárias. Era só filmar do ponto de vista técnico. E montar de forma direta. Talvez a produtora Paula Lavigne tenha tido mais presença de criação do que os diretores.

“Narciso em férias”

O que valeu foi a memória de Caetano e a força que ele tem para dizer tudo aquilo. E observar os detalhes como, por exemplo, com o militar que era conhecedor de Marcuse e contar criando toda uma dramaticidade. Poucos atores teriam capacidade para manter essa estória com tanta densidade. E o fato social de o filme conseguir abrir o Festival de Cinema de Veneza, para uma exibição fora de competição, é produto da magia que Caetano pessoalmente tem. Enfim, é claro que é fundamental a existência de uma equipe técnica.

Entretanto, mais fundamental é o personagem. Claro que depois desse “Narciso em férias” ninguém conseguirá falar mais sobre o que foi o golpe de 64 sem referência a ele. E não é preciso concordar com Caetano, inclusive porque ele nega o socialismo no filme e numa entrevista recente afirma o valor do socialismo. Caetano Veloso é um ser sem dúvida contraditório, mas genial. Quero mais filmes geniais como este.

(Olinda, 8. 9. 2020)


por Celso Marconi, Crítico de cinema mais longevo em atividade no Brasil. Referência para os estudantes do Recife na ditadura e para o cinema Super-8  |   Texto em português do Brasil

Exclusivo Editorial PV / Tornado


 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -