Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Junho 14, 2024

Recriar “Os Lusíadas” em teatro animado

Júpiter, Marte, Vénus e Baco são os Deuses invocados por Vasco da Gama no espectáculo intitulado “Os Lusíadas – Conferência Animada” que vai estrear, esta quinta-feira, 8 de Fevereiro, no agrupamento de Escola do Teixoso, concelho da Covilhã. As figuras da mitologia greco-latina presentes na obra de Luís Vaz de Camões dão agora corpo e alma a quatro máscaras que acompanham a navegação portuguesa, lado-a-lado com a manipulação de marionetas, de embarcações e da mostra de outras imagens ilustrativas da tripulação e armada lusitana.

Como cenário, lá está uma mesa planisfério. Lá passam vídeos documentais. E lá falam dois conferencistas: Doutora Lusía e Professor Das. Uma recriação histórica “divertida e dinâmica”, dividida em vários planos, com a proposta pedagógica de explicar a epopeia portuguesa a alunos do terceiro ciclo.

Criado e representado por Magda Dimas e António Abernú, “Os Lusíadas – Conferência Animada” explora a “vida incerta” de Camões, a breve História de Portugal e a chegada à Índia, terminando com uma conversa aberta com o público. “Desta forma, sintetizamos a narrativa e a prosa, devolvendo-a sob a forma de imagens, aproximando-nos mais do universo quotidiano dos jovens”, realçam os autores.

Apelando ao mundo das sensações e emoções imediatas do espectador, através do riso e da curiosidade, transformamos este espectáculo de teatro multimédia num instrumento de aprendizagem e sensibilização”​ Explicam ainda.

Em co-produção com a ASTA – Associação de Teatro e outras Artes do distrito de Castelo Branco, a adaptação da obra de Camões é apresentada pela primeira vez aos alunos, pelas 15:30, e tem segunda sessão para docentes, às 21:30, na Escola EB 2, 3 do Teixoso. Os criadores esperam que este seja o início de uma longa e animada viagem.

Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.

Basta a fé no que temos,
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos
e ao que é o dia-a-dia.

Chegamos? Não chegamos?
– Partimos. Vamos. Somos.

Sebastião da Gama

Conferencistas


Concluiu o Mestrado na variante de Teatro e Comunidade na Escola Superior de Teatro e Cinema em 2013.

Ao longo da sua carreira, tem participado em inúmeros projetos que têm como método de trabalho a improvisação e o Método Divising. Em 1998 foi membro fundador do Colectivo Sopa Produções que se dedicava essencialmente ao Teatro Improvisado. Desde essa altura, o teatro físico aliado ao método divising tem sido uma constante no seu percurso artístico que tive início com os projetos da Sopa Produções (Animações de Rua, Teatro, Performance e Teatro Invisível), passando pelas inúmeras peças realizadas com o Projecto Ruínas (encenações de Francisco Campos) entre 2003 e 2016 e por fim com o Espetáculo O Escadote no CCB.

Desenvolveu o seu percurso pessoal em Portugal e Macau como Atriz, Encenadora, Professora de Teatro e Marionetista.

Ao longo da sua carreira tem vindo a trabalhar com vários encenadores, nomeadamente: Jorge Silva Melo, João Brites, Francisco Campos, João Mota, Rafaela Santos, Francisco Salgado e Sandra Faleiro.
Actualmente é Encenadora do grupo TeatroAparte.


Frequentou o curso de Eng. Aeronáutica da Universidade da Beira Interior, Covilhã. Paralelamente entra para o Teatrubi, acabando no Centro Dramático de Évora a estudar Teatro. Trabalhou no Teatro das Beiras. Inicia simultaneamente um trabalha de direção e encenação em grupos de teatro amador e universitário. Participação como ator na XI Sessão da I.S.T.A. (International School of Theatre Anthropology) dirigida por Eugénio Barba. No Ano 2000, funda a ASTA – Associação de Teatro e outras Artes do Distrito de Castelo Branco.

Orador convidado no V MITEU – Mostra Internacional de Teatro Universitário de Orense, Espanha. Em 2004 concebe e dirige o projeto Teatro Virtual, inserido no Plano Operacional da Cultura – FEDER. Curso de Marketing e Gestão em Serviços Educativos e Avaliação de Projetos e Atividades Culturais – Sete Pés. 1º Seminário Jovens Encenadores no Teatro Nacional D.Maria II, Lisboa. A convite da Biblioteca da Faculdade de Ciências e Tecnologia da U. Nova de Lisboa escreve, cria e interpreta: O homem que queria ser água – espetáculo de sensibilização sobre a água e os problemas ecológicos.

Mestre em Ciências da Comunicação, Especialização em Comunicação e Artes na FCSH, UNLisboa.Moderador de Teatro Debate na Associação Usina.

Vídeo da sinopse

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -