Diário
Director

Independente
João de Sousa

Sexta-feira, Outubro 22, 2021

Nada tema

Beatriz Aquino
Formada em Publicidade e Propaganda. É escritora e atriz de teatro. Nascida no Brasil a viver em Portugal.

Poema inédito de Beatriz Aquino

Nada tema

Nada tema.
Tudo segue a contento.
O rio em que pisas há de lamber a dor dos teus passos.
Na outra margem dele,
armas vorazes e também mãos amigas.
Porque é preciso equilíbrio.

Não te inquietes.
O vento frio há de soprar pra longe a arrogância dos teus dias ensolarados.
A ausência na noite te ensinará a ternura no próximo toque.

Espera,
agora que a relva seca.
Que as árvores não te dão abrigo.
Que os sorrisos se escondem por trás das máscaras.
Tudo é providência para que teu semblante se torne mais ameno.

E ao atravessar a ponte dos teus dias, acabrunhado e roto, verás que apesar de curvado e porque não dizer um pouco triste,
a serenidade se apossou gentilmente dos teus ossos.
E é então que aprenderás a cantar para o vento.

 


Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

 

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorCéu Africano
Próximo artigoMamã
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -