Diário
Director

Independente
João de Sousa

Terça-feira, Maio 28, 2024

Ta Matete, Paul Gauguin

Guilherme Antunes
Guilherme Antunes
Licenciado em História de Arte | UNL

“Ta Matete”, de Paul Gauguin. Foi um importante pintor francês, representantes da pintura pós-impressionista. Pintor atormentado pela incompreensão dos seus próximos, largou a civilização europeia que detestava e foi tentar ser feliz para uma ilha.

As formas humanas bidimensionais que mais parecem um hieróglifo, é uma assunção do seu gosto pela antiga arte egípcia. Um grupo de prostitutas que estão numa espécie de montra, de contornos limitados, não lhe interessando nada a explanação da exibição da cor (uma árvore roxa). Pela posição crítica que sempre assumiu, ao lado dos indígenas, pode-se acreditar que esta pintura é uma denúncia da venda do corpo.

É muito interessante reparar que naquelas superfícies planas de cinzentos, amarelos, vermelhos, etc, o pintor corta a figura da direita, num recurso visual utilizado pelos impressionistas, que garante uma atenção acrescida. Gauguin proporcionaria novas perspectivas estéticas que viriam a chamar muito a atenção do movimento “Fauve” e do “Expressionismo”.

Paul Gauguin 1848-1903

Eugène-Henri-Paul Gauguin nasceu em Paris a 7 de Junho de 1848.  Viveu seus primeiros sete anos de sua vida, em Lima, no Peru, para onde seus pais se mudaram fugindo do império de Napoleão III.

Em 1855 voltou a França, tendo estudado em Orleans e em Paris. Aos 17 anos ingressou na Marinha Mercante, viajando por vários países, servindo até 1871. De volta à Paris, começa a trabalhar como corretor de valores e a pintar nas horas vagas.

Em 1883 começou a pintar com Pissarro em Osny. Nesse mesmo ano muda-se para Rouem e depois para Compenhague. Em 1885, volta a Paris e instala-se em Pont-Aven, na Bretanha.

Interessado pela arte oriental, foi morar no Taiti. Pintou “Jovens Taitianas com Flores de Manga” e “Duas Mulheres na Praia”.

Em setembro de 1901, mudou-se para a ilha Hiva Oa, uma das Ilhas Marquesas, onde veio a falecer.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -