Diário
Director

Independente
João de Sousa

Domingo, Outubro 17, 2021

O fim do Império Romano

Hélder Costa
Actor, dramaturgo e encenador do Teatro A Barraca.

A infernal catadupa de excessos, ordinarices e estupidez do dito inquilino (aliás, ocupador) da angélica Casa Branca, é de fazer perder a paciência a um santo. Hesitei muito em voltar a escrever sobre essa coisa. Mas, avanço uma reflexão…
Esse jovem energúmeno recebeu uma choruda maquia do Daddy para começar a vida… os tais USA de oportunidades para todos… começaram as Torres, que se multiplicaram, que deram em falências e isenção de impostos… onde havia dinheiro, aí aterrava o Nada pato Donald.

Depois, opulência e luxo, marketing e mulheres para enriquecer o negócio – concursos de Miss Universo – programa de TV prestigiando o criador implacável que expulsa os inúteis… campanha eleitoral e ei-lo PR dos States!

Que projectos, e o que anda a fazer a quadrilha Trump? Muro do México? quem paga? orçamento USA… quem constrói? há comissões? venda de armas na Arabia Saudita? milhões, para quem? redução de impostos para grandes empresas? comissões para quem faz a lei? redução de despesas para seguradoras? quem recebe comissões? não sei porquê, penso que o Trump não anda nada a fazer política, anda a fazer negócios, a sacar dinheiro por causa das suas sistemáticas falências. É uma corrida desesperada para a frente. Faz lembrar o fim do Império Romano, o do Reich que duraria mil anos e outras façanhas históricas que acabaram mal.

Um dos últimos imperadores, Valeriano, foi preso numa batalha com os persas (hoje, o Irão)… Foi morto, sendo obrigado a beber ouro líquido.

Receba a nossa newsletter

Contorne o cinzentismo dominante subscrevendo a nossa Newsletter. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

Artigo anteriorAs horas de Danilo
Próximo artigoOs novos refugiados
- Publicidade -

Outros artigos

- Publicidade -

Últimas notícias

Mais lidos

- Publicidade -